A nobreza do ouro na antiguidade

O homem se sente atraído pelo ouro como o mais precioso de todos os metais produzidos pela Terra, Nós o consideramos como a coisa mais cara e mais valiosa que existe. 0 ouro é diferente dos outros metais; não combinara, de modo geral, com outros metais (com exceção da prata, para formar o electo, usado pelos povos antigos da Ásia Menor). Além disso, o ouro não se deteriora e ano se degenera; os tesouros de ouro da América do Sul, do Egito, da Pérsia, da Índia e da Gália antiga, que tem milhares de anos, ainda são tão encantadores quanto no tempo em que foram criados pelos grandes artistas
Desde os tempos mais antigos, o homem tem feito ornamentos e utensílios de ouro para deuses e reis. O costume de adornar o altar com um Sol de ouro é realmente muito antigo. Os Incas do Peru e os astecas do México davam a ele uma significação sagrada, e esse simbolismo ainda sobrevive nas igrejas cristas do Ocidente. O ostensório tem a forma de um Sol radiante. Serviços de mesa feitos de ouro sempre deram esplendor aos grandes banquetes da nobreza. O símbolo do poder supremo, a coroa de ouro, é uma honra reservada para os reis. A historia fala inclusive de sarcófagos reais cobertos com folhas de ouro, como o de Tutankhamon, o faraó egípcio.
Por que o ouro deveria despertar tamanha reverencia? Simplesmente por causa da sua beleza resplandecente e permanente? Não, mas sim porque o ouro é o metal do Sol. Em essência, ele esta relacionado com o Sol, o grande dispensador da vida do nosso universo. No mundo dos metais, o ouro é a energia solar substanciada. Ele forma o ponto central desse reino, do mesmo modo que o Sol é o centro de próprio sistema. É por isso que ligamos o ouro a figuras centrais, tais como o governante ou o sumo-sacerdote, que são os representantes e os símbolos do Sol na Terra. A coroa do rei deve ser feita de ouro porque ela representa o fluxo de energia que desce do Sol e penetra nessa cabeça real. Ao mesmo tempo, ela age como um condutor de energia. Desse modo, o governante fica intensamente carregado com uma força que ele então pode distribuir entre o seu povo, a terra e o gado, para fazer com que sejam férteis e para trazer felicidade mutua, saúde e beleza.
O rei senta-se num trono de ouro e segura em suas mãos o cetro de ouro – símbolo masculino – e a esfera de ouro – símbolo feminino. Ele divide a grande força única e a transmite ao reino da dualidade. As inúmeras pedras preciosas que adornam a coroa e também o trono atraem as forças planetárias, a fim de que cada uma dê sua própria contribuição. O ouro une essas forças. O ouro traz a energia do Sol para o homem, para que ele a leve consigo aonde quer que vá. O ouro torna-nos corajosos, fortes e generosos, como o próprio Sol. Ele dá autoconhecimento, autoconfiança e vigor
Dai o velho costume existente entre povos de muitas nações, usar brincos, braceletes, anéis, colares e broches de ouro. As camponesas da Holanda usavam os chamados enfeites-de-orelha: faixas douradas usadas sobre os cabelos e sob a touca de fina renda, através da qual se podia vê-las brilhar. Aos domingos, especialmente Zelândia, elas usavam pequenas espirais de ouro presas a fita envolvia a cabeça, logo acima das orelhas. Isso, em conjunção com as quatro fieiras de contas de coral, presas com um fecho de ouro usadas em torno do pescoço, tornava esse simpático povo carregado de força vital.
Acredita-se atualmente que os brincos de ouro dos pescadores asseguravam um enterro decente ao marinheiro que se afogasse num naufrágio, caso seu corpo fosse arrastado para a praia. Numa época anterior, porém, os homens tinham um conhecimento muito maior. Eles furavam os lóbulos das orelhas e, com um brinco, mantinham os furos abertos para favorecer a expulsão de substancias impuras do corpo. Nem sempre os homens se preocuparam exclusivamente com o lado econômico das coisas! Nos países da América do Sul, onde desde tempos bem antigos tem sido encontrada uma enorme quantidade de ouro, muitos objetos de uso cotidiano, tais como pratos, copos e travessas, eram feitos de ouro, para uso das pessoas abastadas. Eles chegaram até mesmo ao ponto de usar placas de ouro para gravar o alfabeto. E a historia foi registrada em grandes paginas douradas...
Quando Cortês topou com o reino astecas, a principio os índios o tomaram por um deus saído das suas profecias e perguntaram a ele a peso exato do rei e da rainha da Espanha, uma informação que Cortês não pode fornecer. Os índios contaram-lhe que precisavam saber isso para poder oferecer como presente, para o rei e para a rainha, uma chapa de ouro de acordo com o peso deles, que os carregaria através dos ares tal como os reis e sacerdotes astecas...
Hoje em dia, os turistas tem tal entusiasmo pelos esplendidos objetos de ouro vindos do passado, que os índios que trabalham em ourivesaria, e que ainda hoje tem a mesma habilidade, fazem copias dos objetos originais e as vendem. Isso esta relacionado com a luta inicial dos índios pela independência, quando quiseram tentar escapar da tirania e da exploração dos espanhóis, depois de suportar tudo isso durante tanto tempo. Os que são muito pobres conseguem algum dinheiro extra cavando e saqueando tumbas antigas, em busca de objetos de ouro que costumavam ser enterrados com os mortos.
Embora o ouro ocorra naturalmente em todo o globo, hoje ele existe em apenas umas poucas áreas Onde a mineração é considerada compensadora. 0 Continente Africano é o mais rico em ouro. Muita vezes ele é chamado de Leão, pois Leo é o signo do zodíaco regido pelo Sol. 0 negus da Abissínia tinha sempre um Leão sentado ao lado do seu trono: o Leão de Judá, símbolo do poder real.

Curtir no Facebook

Joalheiros.NET

Escola de Joalheria e Ourivesaria
Av. República Argentina, 452 ● Curitiba ● PR
(41) 3342-5554 ● WhatApp 41 99115-5222